sexta-feira, 10 de julho de 2009

A DESPEDIDA

Estava a começar a fazer este post e, nesse preciso instante, o meu telemóvel apitou: um sms do Sete a dar conta da chegada a terras nórdicas. A viagem correu bem, felizmente!

Ele embarcou hoje de manhã rumo ao Norte da Europa e, por isso, o meu dia começou bastante cedo. Acordei às 5.30 e, ainda esfregando os olhos de sono, meia-hora depois o destino foi o aeroporto da Portela.

As despedidas de pessoas que estão 'cá dentro', são sempre momentos de emoção para mim, sobretudo quando o reencontro levará algum tempo. É este o caso...

Como em outras ocasiões, custou-me ver partir novamente um dos meus 'manos'. Porém, desta feita, esse sentimento foi acrescido. É que agora, para além do Sete, há o filhote dele, o meu afilhado.

No ano passado, o pequenote tinha apenas dois meses, pelo que ainda não eram possíveis grandes interacções com ele. Este ano já foi diferente.

Depois de alguma dificuldade para ganhar a confiança dele, agora que já não tinha problemas em vir para o meu colo e já queria rir e brincar comigo, é que ele se foi embora... Isto já para não dizer que ontem a companhia dele mostrou potencial para ser um grande chamariz para o padrinho!!!

'Malandrices' à parte, vou ficar com muitas saudades do meu afilhadito e nunca vou esquecer que foi em Portugal que deu os primeiros passos! Desde que a minha cara se tornou familiar para ele, diverti-me à brava. Pena ter sido pouco tempo...

Até à próxima!

Abraço/beijinhos e bom fim-de-semana a todos

12 comentários:

Histérica ® disse...

Na próxima vez vais tu lá visitá-lo! E assim já ficas a conhecer a terra onde ele vai crescer!

P.S.: que coisa feia usar o afilhado para atrair miúdas!! lool

;D

lilipat2008 disse...

Confesso que me assutei quando vi o título do post...
Adiante...estas despedidas custam sempre, mas tem de ser...faz parte do percurso das nossas vidas e temos, por mais que nos custe, de nos habituar a elas.

:)

bjitos e bom fim de semana

paulofski disse...

As despedidas, quaiquer que sejam e quando se tornaram reencontros, deixam sempre um nó na garganta e uma lágrima no canto do olho.

Mas agora te digo que essa tua cara aos quadradinhos só te torna familiar mesmo com uma dessas testemunhas ocultas que passam nos noticiários da TV. Poderias pintar um bigode, ou uns óculos escuros, sei lá!

Bom fim-de-semana

Mário Rui Ventura disse...

E boa sorte para o 'sete'. Ele merece!

Fada disse...

:)

Custa a despedida, mas... Vale a pena pelos bons momentos...

Beijitos

Sete disse...

As despedidas são sempre custosas para mim, especialmente quando por tanto tempo.
Vais ver que para o ano já não precisarás de tanto tempo para "ganhar" a confiança dele novamente e a interacção será ainda maior :D

Grande abraço de todos daqui das terras do Norte :)

Olhos Dourados disse...

As saudades são tramadas!

ZaniNE disse...

É mesmo frustrante ganhar a confiança de uma crança para depois ficarmos sem a ver meses e meses a fio...?

Deixa lá, a memória dele está no auge e com sorte lembra-se de ti para a próxima! ;)

Beijoquinha.

A Gata Christie disse...

Não é uma despedida, amigo. É uma até já!

Carla disse...

Do longe faz-se perto e felizmente a tecnologia ajuda em muito e matar alguns bichinhos da imensa saudade que se tem de quem está longe.

Beijinhos*

CarlaSofia disse...

Pedrito, a amizade não tem fronteiras.
Passei para te deixar um beijo.

Bolacha disse...

Sao estes momentos que nos deixa ver que o tempo vai passando, e apesar de tudo dao-nos alegria saber que apesar da distancia, a sentimentos que nao desaparecem

Rapidamente nos encontraremos para novos momentos destes

Um abraco,

Bolacha