sábado, 9 de agosto de 2008

UMA QUESTÃO DE... SEGURANÇA

A criminalidade está a crescer em Portugal. Basta vermos os noticiários ou desfolharmos os jornais para facilmente chegarmos a essa conclusão.

Perante este cenário de pânico crescente, não há nada como recorrer a um segurança. E se for de forma gratuita, tanto melhor. No entanto, há quem se dê ao luxo de abdicar deste serviço em condições tão vantajosas. Já vão perceber porquê…

No outro dia fui beber um copo com um grupo de amigos a um bar que frequentamos com alguma assiduidade. Estávamos tranquilos na mesa, quando a empregada, uma brasileirinha de carinha laroca (e atenção que não sou grande apreciador das mulheres da terra de Vera Cruz), se dirigiu à Ruiva e lhe trouxe uma bebida de oferta.

“Quem será o admirador?”, esta foi a questão que se colocou entre os presentes na mesa. “Será o da t-shirt verde? Ele está a olhar muito…”, pensámos nós, perante o desespero da minha amiga, nada agradada com o panorama masculino presente no bar. Passados uns minutos, mudámos a ideia quanto ao ofertante. “É o gajo da t-shirt com o número 23, de certeza…”. Pareciam existir poucas dúvidas, de qualquer forma o melhor mesmo era tentar dissipá-las por completo.

A forma mais fácil de o conseguir era mesmo perguntar à empregada. Quando ela se aproximou da nossa mesa, tomei a iniciativa de lhe perguntar de quem se tratava, respondendo ela que ele tinha pedido segredo. Passei então à questão seguinte, querendo saber se o dito cujo era bonito ou feio, à qual ela respondeu “é muito gente boa”. Ou seja, indirectamente a ‘brazuquinha’ disse que a beleza não abundava para ‘aquelas bandas’, o que ainda tirou mais moral à Ruiva!

Volvidos uns minutos, a moreninha brasileira passou novamente pela nossa mesa e desvendou o mistério: “foi o segurança”. De facto, o senhor até parece simpático, mas, atendendo a alguns cabelos brancos e ao número de ‘primaveras’ que consta no seu BI, estava praticamente condenado ao fracasso.

A jovem nem para ele conseguia olhar e ficou de tal forma constrangida e envergonhada que, à saída, ainda tive que ser eu a entregar o cartão dela ao babado funcionário. E ali ficou ele de cara triste a vê-la partir…

Moral da história: ao contrário do que se pensa e se diz usualmente, nem sempre as mulheres gostam de… segurança!

PS – Desafio a protagonista desta ‘película’ a comentar…

Abraço/beijinhos

12 comentários:

Nuno disse...

Também se pode tirar outra moral desta história: A de que nem sempre os seguranças são rudes e antipáticos.

Um abraço,
Nuno.

Rita disse...

oi amigo!!acabei de ler a tua história sobre a nossa amiga.tens jeito para escrever,axei piada á imagem que colocaste.a nossa amiga não teve muita sorte,isto porque o segurança tem idade para ser paizinho dela,mas tambem sabemos que a atraccao não escolhe idades.
fico á espera de mais textos escritos por ti ,afinal de contas temos um jornalista com muito jeitinho para a escrita!!!:):) beijokinhas da tua amiga Rita

Anónimo disse...

oi amiguinho!!!
adorei o teu blog.
em relação a história da nossa amiga esta muito engracada ,como se costuma dizer a atracção não escolhe idades.tens muito jeito para a escrita e como tua amiga desejo toda a sorte deste mundo porque tu mereces,és um amigo espetacular.
beijokinhas.Rita

Anónimo disse...

eheheheh
estes seguranças...ui ui....
mas se ha quem possa dispensar um segurança......quem pode pode!!!

temos de perguntar que a amiga tb nao vai á bola com qq um.....(ou vai??)

Anónimo disse...

eheheheh
estes seguranças...ui ui....
mas se ha quem possa dispensar um segurança......quem pode pode!!!

temos de perguntar que a amiga tb nao vai á bola com qq um.....(ou vai??)

Johnny

vanda disse...

ora aí ta... o johnny ate q sabe. sou 1 pessoa q n vai na cantiga de qq 1,isto n é assim...lol ainda pa + o sr. tinha idd pa ser meu pai....segurança desta dispenso!!!

Bjinhos pedrocas e continua assim pq tens mt jeito

Erica disse...

E a amiga consumiu a bebida a mesma ???

vanda disse...

consumi...so no final é q descobri quem tinha sido o ofertante!!!

Anónimo disse...

pedro... assim... qual o nome do bar?
beijos da tua amiga de além mar,
carol

Victor disse...

Pedro
Fico contente porque constato que andas bem aconmpanhado.
Um abraço

Anónimo disse...

Coisas de mulheres, ficam felizes ao receber uma bebida de alguem que nao conhecem, bebem-na e depois quando se reparam que o sujeito nao era o qual suspeitava ... ficam desiludidas e envergonhadas.. TIPICO

Vandinha disse...

Um simples "obrigada" também não teria ficado nada mal... acho eu...